Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Morre aos 69 anos o ator João Carlos Barroso



João Carlos Barroso
O nome inteiro do ator João Carlos Barroso é João Carlos de Albuquerque Melo Barroso. Ele nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 28 de fevereiro de 1950. Sempre atuou em televisão, mas também fez filmes e fez teatro.
João Carlos era ainda um garotinho e do que gostava mesmo era de jogar futebol. Tinha só onze anos e aproveitava para jogar em todos os momentos de folga. E foi assim que, de repente, alguém chegou perto dele e o convidou para participar de um filme, que seria uma co-produção Argentina- Brasil e que se chamaria ‘Pedro e Paulo”. O garoto João apenas sorriu, não entendendo nada, pois o que lhe interessava era jogar bola. Mas, depois em casa, foi convencido a ir fazer o teste. Fez e ganhou o papel. No filme atuavam grandes nomes da arte do Brasil, como Francisco Cuoco, Jardel Filho, Jece Valadão. Foi Francisco Cuoco que apreciou a atuação do garoto e o levou para o teatro. A peça, que ia ser encenada era: ” O Homem a Besta e a Virtude”. E nela estavam Cláudio Correia e Castro, Fernanda Montenegro. Ítalo Rossi, Sérgio Brito e outros ” cobras”. Ao garoto não importava nada. Era tudo ” farra”. Mas se saiu tão bem, que ganhou vários prêmios, que lhe foram dados pelos críticos da época, que o achavam ” uma revelação”.Era o ano de 1962, e João Carlos foi chamado de ” a oitava estrela do Teatro dos Sete”. Participou de várias peças de teatro. Fez: ” Aracy de Almeida no País de Araca”; ” Ladrão Que Rouba Ladrão”; ” Os Picaretas”, ” Momentos, Futebol de Paixão” e vários outros.
Porém, João Carlos foi logo para a televisão. Em 1965, fez: ” Rua da Matriz”. Em 1973: ” O Bem Amado” e “Os Ossos do Barão”. Em 75: ” Pecado Capital”. Em 76: “Estúpido Cupido”. Em 77: ” Locomotivas”. Em 78: “O Pulo do Gato”, ” Pecado Rasgado” e “Marrom Glacê”. Em 80: ” Chega Mais”. Até aqui, todos da Rede Globo. Em 82: ” Os Imigrantes”, na TV Bandeirantes. Novamente na Globo, em 83: ” Pão Pão Queijo Queijo”. Em 84: ” Livre Para Voar”. Em 1985: ” Roque Santeiro”. Em 87: “Direito de Amar”. Em 89: ” O Salvador da Pátria”. Em 90: “Mico Preto”. Em 92: ” Pedra Sobre Pedra”. Em 93: ” Mulheres de Areia”. Em 94: “Tropicaliente”. Em 98: “Era Uma Vez”.Em 99, fez vários personagens no seriado humorísticos: “Zorra Total”.Em 2000, a novela: “Uga Uga” E em 2001: O Clone” .
João Carlos Barroso também trabalhou em cinema. Participou dos filmes: ” Nos Tempos da Vaselina”, ” O Pistoleiro” e “Dona Eulália”. 

http://www.museudatv.com.br/biografia/joao-carlos-barroso/

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Bibliotecas também melhoram aprendizado de matemática, diz pesquisa | Agência Brasil

Além de melhorar a leitura e o conhecimento em língua portuguesa, frequentar uma biblioteca integrada ao projeto pedagógico da escola pode incrementar o aprendizado dos alunos em matemática. A conclusão é de uma pesquisa do Instituto Pró-Livro, que será apresentada no Fórum de Educação da Bienal do Livro do Rio de Janeiro, em 2 de setembro.
Foram ouvidos na pesquisa professores de português, diretores e bibliotecários das 500 escolas públicas com melhor nota na Prova Brasil, comparando as diferenças entre os resultados obtidos e as atividades desenvolvidas nas bibliotecas. Sem antecipar todos os dados, a coordenadora da pesquisa, Zoara Failla, disse que foi possível identificar uma influência positiva das bibliotecas no aprendizado dos alunos do 5º ano do ensino fundamental.
A pesquisa leva em conta diversos fatores, inclusive físicos, como a infraestrutura da biblioteca, sua acessibilidade e a conexão à internet. Também são consideradas a atuação do responsável pela biblioteca e do professor entrevistado, a disponibilidade de acervo e recursos eletrônicos, e o uso desse espaço pelos alunos.
O grupo de escolas mais bem avaliadas na disponibilidade de acervo e recursos eletrônicos teve um acréscimo de 10 pontos em matemática no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), enquanto, em português, o incremento da nota foi de 6 para o acervo e de 10 pontos para recursos eletrônicos. Quando considerados todos os critérios, há uma associação positiva das bibliotecas bem avaliadas com o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
"A gente ficou surpreso, mas quando a gente pensa na matemática, o enunciado do problema é fundamental. Você tem que ter a compreensão leitora, depende da compreensão para resolver um problema", disse Zoara Failla, em entrevista à Agência Brasil.
A pesquisadora ponderou que ter uma biblioteca não é o bastante para que as escolas impactem a formação de seus alunos. É preciso que o espaço seja aproveitado de forma multidisciplinar, de modo que atividades orientadas incentivem os alunos a pesquisar em seu acervo. "É preciso ter uma mediação. As atividades têm que estar orientadas pelo currículo escolar e pelo projeto político-pedagógico da escola. É esse conjunto de possibilidades e ofertas que vai impactar na aprendizagem", acrescentou Zoara. 
As conclusões que serão apresentadas no dia 2 de setembro na Bienal incluirão ainda informações sobre como a existência de uma biblioteca ativa é especialmente positiva em escolas que atendem a populações mais vulneráveis. No dia 23 de setembro, os dados serão novamente apresentados em São Paulo, em um seminário no Itaú Cultural.


Brasil confirma melhor campanha em Jogos Pan-Americanos | Agência Brasil

Na edição 2019 dos Jogos Pan-Americanos, realizados de Lima, no Peru, a equipe brasileira confirmou a melhor atuação do país em Jogos Pan-Americanos. O Time Brasil conquistou 171 medalhas e garantiu o país no 2º lugar do quadro geral de medalhas, com 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze.
A medalha de ouro de Guilherme Costa nos 1.500m da natação, foi a marca para o país chegar a 53 ouros em Lima e superar sua melhor campanha em Jogos Pan-Americanos na história, ocorrida no Rio 2007, com 52 ouros.
Foram 19 dias de jogos Pan-Americanos. Nesse tempo, o Brasil mostrou dominância em algumas modalidades, surpreendeu em outras e também viu medalhas que pareciam quase certas escaparem. Superação e aprendizado caminham juntos em qualquer competição esportiva. Da frustração do ginasta Arthur Zanetti, prata nas argolas, a ouros inéditos no badminton, boxe feminino e taekwondo feminino, o Brasil escreveu sua história em Lima.
Confira alguns destaques do Brasil nesta edição dos jogos:

Favoritismo confirmado

Um desempenho histórico não seria possível sem que os favoritos fizessem o que se esperava deles. E muitos nomes considerados hegemônicos confirmaram as previsões e fizeram o hino nacional brasileiro tocar várias vezes em Lima.
Um deles foi Fernando Reis. Ele conquistou o tri pan-americano no levantamento de peso com uma performance impecável. Ele somou 420 quilos levantados, somando o arranco e o arremesso, e garantiu com folga a medalha de ouro. Muito superior aos seus adversários, ele levantou 21 quilos a mais que o segundo colocado, o cubano Luis Manuel Lauret, com 399 quilos.
O time de handebol feminino também manteve seu posto de imbatível nas Américas. A vitória na final sobre a Argentina não veio fácil. As adversárias foram mais eficientes e concentradas no primeiro tempo, mas viram a seleção brasileira corrigir os erros na segunda metade da partida e vencer por 30 a 21. Além de faturar o ouro e o hexacampeonato no handebol, as brasileiras asseguraram presença nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.
Um dos principais nomes do Time Brasil na atualidade, o baiano Isaquias Queiroz venceu na prova de C1 10000. Essa foi a quarta medalha de Isaquias em jogos Pan-Americanos. Ele também participou da final da prova de duplas C2, mas seu parceiro, Erlon Souza, passou mal e eles não completaram o percurso.
Um dos carros-chefe de medalhas, tanto em jogos Olímpicos como em jogos Pan-Americanos, o judô brasileiro brilhou mais uma vez. Mayra Aguiar e Rafaela Silva, medalhistas no Rio, em 2016, não tiveram grandes dificuldades para botar mais dois ouros na conta do Brasil.

Natação

Uma das modalidades mais generosas para o Brasil nos jogos Pan-Americanos, a natação voltou a brilhar. Foram 30 medalhas, sendo dez ouros, nove pratas e 11 bronzes. Dentre os triunfos, estão os ouros de Guilherme Costa nos 1.500 metros, Etiene Medeiros nos 50 metros livre, Bruno Fratus também nos 50 metros livre e do revezamento masculino 4x200 livre, com Luiz Altamir, Fernando Scheffer, João de Lucca e Breno Correia.
A natação brasileira também conquistou prata nos 4x100 medley masculino, com João Gomes Jr., Guilherme Guido, Vinícius Lanza e Marcelo Chierighini. “A gente conseguiu ajudar muito o Brasil no quadro geral de medalhas. A gente vem cansado do mundial, em que foi bem forte e cansativo para todo o grupo. Chegamos aqui de coração aberto para lutar por um resultado expressivo”, disse João ao site Rede do Esporte, do governo federal.
O quarteto feminino dos 4x100 medley também subiu ao pódio, com Etiene Medeiros, Jhennifer Conceição, Giovanna Diamante e Larissa Oliveira. Elas conquistaram o bronze. “Nadar o revezamento é importante para a natação feminina. São as melhores de cada estilo, uma prova rápida, onde as americanas sempre ganham destaque e as canadenses também”, disse Etiene.

Francisco Barretto e a ginástica artística

Grande destaque da ginástica artística brasileira nesse Pan, Francisco Barretto conquistou três medalhas de ouro nesta edição do Pan: Na barra fixa, no cavalo com alças e na equipe masculina. O triunfo de Barretto foi de grande ajuda para a ginástica brasileira. Foi a melhor campanha na modalidade na história do Pan, chegando a um total de 11 medalhas – quatro de ouro, quatro de prata e três de bronze nesta edição do evento.

Basquete feminino

Foi um desempenho histórico. A seleção feminina de basquete resgatou uma performance digna dos anos dourados da modalidade no país, quando Magic Paula e Hortência comandavam as vitórias, e voltou a ganhar um Pan-Americano. Desde 1991, nos jogos de Havana, que isso não acontecia. As brasileiras derrotaram os Estados Unidos por 79 a 73. Para chegar à final, a seleção passou por Canadá, Paraguai, Porto Rico e Colômbia. Uma conquista incontestável e merecida.

Patinação artística

Pela primeira vez, a patinação artística feminina brasileira ganhou uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. A autora da façanha foi a patinadora Bruna Wurts. Com apenas 18 anos, ela subiu no degrau mais alto do pódio ao somar 103,17 pontos na apresentação.

Vela

Martine Grael e Kahena Kunze ainda surfam na boa fase iniciada com o ouro olímpico, nos jogos do Rio de Janeiro, em 2016. Em Lima, a dupla brasileira faturou o primeiro ouro em jogos Pan-Americanos na modalidade. As duas haviam conseguido a terceira colocação da regata da prova (Medal Race) e precisavam apenas terminar essa etapa para conseguir o ouro.

Boxe feminino

Beatriz Ferreira conquistou a medalha de ouro ao vencer a argentina Dayana Sanchez na categoria leve (57 kg-60 kg). Foi o primeiro ouro do Brasil no boxe feminino em jogos Pan-Americanos. O ouro veio após uma luta na qual Beatriz foi superior nos três rounds, com todos os cinco juízes dando a vitória incontestável para a brasileira.

Ouro inédito no Badminton

O melhor atleta brasileiro de badminton colocou de vez seu nome na história do esporte no Brasil. Ygor Coelho conquistou o primeiro ouro do país na modalidade ao vencer o canadense Brian Yang por 2 sets a 0.
A medalha de Ygor, no entanto, não foi a única do Brasil na modalidade. A equipe brasileira chegou ao total de cinco medalhas nesta edição do Pan: o ouro do carioca e quatro bronzes nas duplas.
Ygor tem uma origem curiosa e bonita no badminton. Ele começou no esporte ainda criança. Seu principal incentivador foi seu pai, Sebastião de Oliveira, que criou um projeto na comunidade da Chacrinha, no Rio de Janeiro, para educar e socializar crianças por meio do esporte.

Desabamento em Curicica deixa duas pessoas desaparecidas | Agência Brasil

Uma mulher e uma criança, que seriam mãe e filho estão presas nos escombros do desabamento de parte de uma casa de quatro andares, sendo o último um terraço, na Rua Cordeiro do Rio, em Curicica, Jacarepaguá, zona oeste do Rio. Desde as 7h bombeiros do quartel de Jacarepaguá, com apoio de militares do Grupamento de Busca e Salvamento, trabalham no local.
De acordo com informações dos bombeiros as duas pessoas estão no primeiro piso do imóvel. Eles fazem as escavações com as mãos. Segundo o major Torres, nesses casos de colapso de construções é recomendável começar o trabalho dessa forma para evitar maiores abalos antes do resgate de sobreviventes e vítimas. O resgate também é feito sem maquinário pesado e apenas há utilização de alicates hidráulicos se houver necessidade de corte de ferragens.
Uma mensagem de áudio, que seria da mulher pedindo socorro, está sendo divulgada nas redes sociais, mas os bombeiros não confirmam ser da pessoa que está nos escombros. Ao todo 40 militares trabalham na área que foi cercada. Imóveis próximos também foram atingidos pelo desabamento, mas não há informação de vítimas.

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Bolsonaro inaugura usina fotovoltaica flutuante na Bahia | EBC Rádios

Um projeto que gera energia limpa e pode receber R$ 15 bilhões, em investimentos: é a Usina Fotovoltaica Flutuante, que gera energia solar. A primeira etapa da estrutura foi inaugurada nesta segunda-feira (5), na cidade de Sobradinho, Norte da Bahia, com a participação do presidente Jair Bolsonaro.
Segundo ele, esse tipo de tecnologia é bem-vinda, porque tem maior potencial de geração elétrica.
Esse é o maior projeto de pesquisa e desenvolvimento desse tipo de tecnologia flutuante, no país, em reservatório de hidrelétrica. A obra é da CHESF - Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, que vai investir, no total, R$ 56 milhões.
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, explicou que a geração de energia com as placas sobre a água tem muito mais eficácia.
Também foi assinada nessa segunda-feira a autorização para a segunda etapa do projeto, que será uma nova usina solar flutuante, no Reservatório de Sobradinho.
O nome usina flutuante é devido ao posicionamento das placas solares, que flutuam sobre a água do reservatório, ligadas ao fundo por meio de cabos. A primeira etapa, por exemplo, tem quase 4.000 mil placas, numa área de 11 mil metros quadrados, maior que a área de gramado do Estádio do Maracanã.

Campanha alerta para os riscos envolvendo a rede elétrica; 271 morreram em 2018 | Radioagência Nacional

Uma campanha que começa nesta semana alerta para o risco de acidentes envolvendo a rede elétrica.
Somente no ano passado, 271 pessoas morreram desse jeito. O levantamento foi divulgado pela Abradee, Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica.
Mais da metade das mortes ocorreram durante obras de construção ou manutenção.
O presidente da Abradee, Marcos Madureira, explicou que, nos últimos anos, muita gente deixou de contratar profissionais e passou a fazer obras por conta própria.
A campanha tem o slogan “É aí que mora o perigo”, e espera sensibilizar a população sobre os riscos de lidar com a rede elétrica sem o devido cuidado.
A Abradee reúne as 41 maiores distribuidoras de energia do país. As empresas identificaram, além das construções, outros seis tipos muito comuns de acidentes envolvendo a rede elétrica: operação com uso de guindastes, cabos de energia soltos no chão, poda de árvore, pipa presa no fio, conserto ou instalação de antena de TV e ligações elétricas clandestinas - os chamados "gatos".
O presidente da Sociedade Brasileira de Queimaduras, José Adorno, é o médico-chefe da unidade de queimados do Hospital Regional da Asa Norte, referência no Distrito Federal.
Ele alertou que, além do risco de morrer ao ter contato com as redes de alta tensão, existe risco de muitos danos ao tomar choque até mesmo dentro de casa.
José Adorno destacou que, além das queimaduras e de danos renais, uma pessoa que sofre esse tipo de acidente pode até ter que amputar uma parte do corpo.
O médico orientou que, se você testemunhar alguém tomando uma descarga elétrica, deve usar algum objeto isolante para afastar a vítima da eletricidade. Pode ser um cabo de vassoura um pedaço de borracha, por exemplo. Nada de metal. Em seguida, peça ajuda ao Samu, no telefone 192.


Indicadores de mercado de trabalho da FGV apresentam melhora em julho | Agência Brasil

Os dois indicadores de mercado de trabalho da Fundação Getulio Vargas (FGV) apresentaram melhora na passagem de junho para julho deste ano. O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), que busca antecipar tendências do setor, com base em entrevistas com consumidores e com empresários da indústria e dos serviços, cresceu 0,4 ponto e chegou a 87 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos.
Segundo o economista da FGV Rodolpho Tobler, essa foi a segunda alta do indicador, algo que não ocorria desde o início de 2018. O Iaemp acumula alta de 1,2 ponto no bimestre. Apesar disso, os ganhos ainda são tímidos em relação às perdas de 15,3 pontos acumuladas de janeiro a maio.
O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD), que tenta refletir a opinião dos consumidores sobre o mercado de trabalho atual, teve queda de 2 pontos e chegou a 92,6 pontos, na escala de zero a 200 pontos.
Diferentemente do Iaemp, no entanto, a queda do ICD é considerada positiva, já que significa que os consumidores estão considerando que há menos desemprego. De acordo com Tobler, apesar disso, o indicador continua em nível elevado, assim como a taxa de desemprego do país. Para ele, ainda é preciso cautela, mas “é boa notícia que o indicador volte a sinalizar uma tendência negativa para o desemprego”.

🌈 As cores de cada signo

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Rebelião em presídio deixa 52 mortos no Pará | Agência Brasil

Uma rebelião ocorrida na manhã de hoje (29) deixou 52 detentos mortos no Centro de Recuperação Regional de Altamira, no Pará. De acordo com a  Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), o conflito começou por volta das 7h, quando um grupo de presos invadiu a ala de uma facção rival.
De acordo com informações divulgadas, os presos chegaram a colocar fogo em parte da ala. Dentre os mortos, 16 foram decapitados e o restante teria morrido por asfixia, devido ao incêndio. Dois agentes penitenciários foram mantidos reféns, mas foram liberados ao final da rebelião, que foi contida por volta das 12h. 
De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o ministro Sérgio Moro está acompanhando o caso, já conversou com o governador do Pará, Helder Barbalho, e deve tratar do assunto novamente em uma reunião nesta tarde.

‘Festina Lente – Apressa-te lentamente’ de Ana Cristina Leonardos e Martha Scodro

‘Festina Lente – Apressa-te lentamente’, ensaio sobre a meia-idade feminina, será lançado, dia 12 de agosto, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon

De Ana Cristina Leonardos e Martha Scodro
No século 21, o que é ser mulher e ter mais de 50 anos?
Transitar na década dos 50 aos 60 nos dias de hoje é somar a bagagem da experiência às novas possibilidades de um futuro ampliado.

 “Qual a pergunta mais importante que você se fez no último ano e por que ela é importante?” Esse foi o mote que provocou a reflexão de 66 mulheres entre 49 e 59 anos.  As respostas construíram um painel de sentimentos, dúvidas e desejos que são a base de Festina Lente – Apressa-te lentamente, escrito a quatro mãos pela escritora, poeta e socióloga Ana Cristina Leonardos e pela psicóloga, escritora e fotógrafa Martha Scodro. A obra será lançada, dia 12 de agosto, às 19h, na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon, no Rio de Janeiro.

            O livro, resultado de cinco anos de trabalho, desenha os desafios que essas mulheres enfrentam, levantados em debates de pequenos grupos em torno das angústias, realizações vividas e novos planos nessa fase da vida em que as contradições do meio do caminho se apresentam.  Ana Cristina e Martha são, elas próprias, também objeto de estudo –- o título, a expressão latina Festina Lente, exprime conceitos opostos - apressar-se, mas devagar:

            - O livro fala dos tempos e ritmos da mulher que atravessa os seus 50 anos.  Sugere que ela deve apressar o passo para se conhecer melhor; e então, lentamente, redefinir e priorizar suas ações, caminhos, novas carreiras e atividades, e o que mais desejar projetar para si e realizar.  Afinal, hoje temos mais tempo - descreve Ana Cristina.

            Caloroso, pessoal e distante da linguagem acadêmica, o livro – ilustrado com rara sensibilidade por Lucia Moretszsohn – trafega com leveza no tema, mas sempre com o suporte de pensadores das áreas humanas como filósofos, historiadores, psicanalistas. A literatura e a poesia estão presentes o tempo inteiro, oferecendo a indispensável síntese artística e perceptiva.
Apoiado então no substrato das conversas – as charlas –, na pesquisa e na reflexão das autoras, Festina Lente – Apressa-te lentamente foi organizado em cinco grandes temas a partir das questões colocadas pelas mulheres, e propõe as “hashtags aos 50”: Conexão Interna, Balanço de Vida, Em Movimento, Busca Espiritual e Projeções.

- Nosso livro é ao mesmo tempo um ensaio e uma conversa com os leitores, vivendo e expressando temores, embates e desafios. Esse momento é repleto de preocupações pela consciência do tempo cronológico, finito, e é riquíssimo também. Um desafio renovado em direção a novos aprendizados e realizações - explica Martha.  Os 50 anos são, em muitos casos, o início de uma nova fase, em que antigas situações têm fechamentos, novas questões se apresentam. É onde a vida tem a chance de se reorganizar. Nossa bagagem existe, é parte de nós de maneira inegável e proveitosa. E podemos olhar para a frente, continuar realizando, com prazer e consciência.

Sobre as autoras:

Ana Cristina Leonardos: é pesquisadora, PhD em Ciências Sociais aplicadas à educação (Stanford University, 1990), escritora, poeta e uma apaixonada por cerâmica e Yoga. Autora de ‘Porto Breve’ (2003), ‘Longe: memórias de um Líbano recente’ (2007) e ‘Tempo Outro’ (2014). Em ‘Festina Lente’, debruça-se sobre a temática feminina para abordar os desafios da travessia da meia idade.

Martha Scodro: é psicóloga, terapeuta de família, escritora e fotógrafa. É Conselheira do Athena Center for Leadership da Barnard University em NY, dedicado ao estudo, desenvolvimento e apoio a jovens mulheres. A temática da mulher, em seus projetos, ganha com este livro um lugar especial de pesquisa, reflexão e transformação da sua prática de trabalho.

Serviço
‘Festina Lente’, de Martha Estima Scodro e Ana Cristina Leonardos.
Editora: Autografia
Ilustrações: Lucia Moretzsohn
Lançamento: Dia 12 de agosto, às 19h.
Livraria da Travessa - Shopping Leblon:Avenida Afrânio de Melo Franco, 290 - loja 205 A - Leblon
Preço: R$ 35
Facebook: /aos50cinquenta/
Instagram: aos50cinquenta
Site: aos50.com.br

Assessoria de imprensa
Racca Comunicação
Rachel Almeida
| (21) 3579-1352 | (21) 99196-1489 |racca.almeida@gmail.com

domingo, 28 de julho de 2019

Atriz Ruth de Souza morre após quadro de pneumonia

terça-feira, 23 de julho de 2019

Já conhece a Chapada dos Veadeiros?

Morre o jornalista Juarez Soares, conhecido como "China"