Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

segunda-feira, 19 de maio de 2014

FRENTE CRITICA RETORNO DE CRIANÇAS ADOTADAS PARA PAIS BIOLÓGICOS

A Frente Parlamentar Pró-Adoção, presidida pelo deputado Marco Figueiredo (PROS), se reuniu nessa segunda-feira (19/05) na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para discutir as dificuldades na união entre as crianças em abrigos e aqueles interessados em adotá-las. O debate sobre os casos de famílias biológicas que buscam a Justiça para recuperar a guarda de crianças adotadas teve destaque. Os participantes da audiência pública foram unânimes: a retirada de um filho já integrado a seus pais adotivos em favor dos pais biológicos pode ser um trauma e trazer prejuízos para seu desenvolvimento.
O desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Siro Darlan critica o projeto de lei 379/12, que está em tramitação no Senado e que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) ao incluir a obrigatoriedade de que juízes esgotem todos os recursos para localização de famílias biológicas antes de começarem um processo de adoção. “Isso seria um retrocesso, pois dificultaria a adoção e aumentaria o número de crianças em abrigos. Quando os pais biológicos abrem mão da criança, quer dizer que não a adotaram efetivamente. Família é quem cuida”, afirmou Darlan.
Diretora de relações institucionais da Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção (Angaad), Bárbara Toledo disse ser contra as decisões judiciais que devolvem crianças adotadas aos pais biológicos. Ela explicou que as pessoas que adotam passam por um processo de  habilitação prévio e estão aptas, quando são finalmente convocadas. “A Constituição federal define que a criança tem direito à educação, moradia, alimentação e, principalmente, a uma família”, disse. Toledo alegou que as crianças não são objetos a serem reivindicados quando a família biológica bem entender, e merecem estar onde recebem os devidos cuidados.
Para Marco Figueiredo, no Brasil a burocracia torna o procedimento de adoção complicado e demorado. “Esse é um assunto complexo e são muitas as dificuldades, mas vamos continuar nessa batalha, pois se trata de um importante encontro de amor”, declarou ele, que aproveitou para convidar os presentes para a Caminhada Pró-Adoção que será realizada pela Frente neste domingo (25/05), em Copacabana, saindo do posto 6.

Fernanda Galvão
Diretoria Geral de Comunicação Social 
da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro
2588-1153 / 99433-3994 / 99726-0409 / 98890-6652

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.