Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

ESTADO PODERÁ TORNAR OBRIGATÓRIO EXAME CARDÍACO EM CRIANÇAS COM DOWN

As alterações genéticas que caracterizam a síndrome de Down podem levar a uma predisposição para problemas cardíacos. Por esta razão, o caminho mais seguro para a garantia da saúde das crianças com Down é realizar minuciosos exames o quanto antes. Pensando nisso, o deputado José Luiz Nanci (PPS) apresentou o projeto de lei 94-A/11, aprovado pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) nesta quarta-feira (18/12), em segunda discussão. Ele autoriza o Poder Executivo a tornar obrigatória a realização do exame ecocardiograma em recém-nascidos e crianças com Síndrome de Down. Para Nanci, que é médico, o alto índice de doenças cardíacas em crianças com esta condição justifica a medida. “A incidência das doenças cardíacas congênitas na população geral é menor que 1% e chega a 50% nas crianças com Síndrome de Down, representando as principais causas de mortalidade nos primeiros anos de vida”, informa o parlamentar, que é clínico geral. Segundo ele, a avaliação cardiológica precoce garantiria o tratamento adequado. O projeto será enviado ao governador Sérgio Cabral, que terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar a proposta.
(texto de Fernanda Porto)

Pedro Motta Lima
Diretoria de Comunicação Social da Alerj

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.