Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

História da Igreja de São José - Diário do Rio de Janeiro

Recentemente, esse histórico templo religioso virou notícia devido aos conflitos entre policiais e manifestantes em frente à ALERJ. Entretanto, o que muita gente não sabe é que a Igreja de São José é um verdadeiro tesouro arquitetônico.
Tudo começou com uma pequena ermida. Essa construção foi erguida em 1608, durante o período colonial, por Egas Muniz.
Quase dois séculos depois foram iniciadas as obras que deixaram a Igreja no formato que tem hoje em dia. Em 1807, sob o comando do Mestre Félix José de Souza, a grande reforma começou.
Em 1815, Mestre Félix José de Souza foi substituído por João da Silva Muniz, arquiteto do Paço Imperial, que comandou a obra até o fim.
A Igreja de São José foi, enfim, inaugurada em 1842. Contudo, antes da conclusão, já aconteciam cerimônias menores no espaço”, conta o historiador Mauricio Santos.

Rua da Misericórdia, vista da Câmara e Cadeia e a torre norte da Igreja de São José
De estilo barroco tardio, a Igreja possui uma nave única e corredores laterais onde se localizam um púlpito e três tribunas.
O interior é decorado com talha de estilo rococó de autoria de Simeão de Nazaré, discípulo do Mestre Valentim. Atrás do altar-mor, em uma passagem estreita (onde só é possível passar uma pessoa por vez) está a cena da morte de São José, com o santo cercado por Jesus e Maria, todos em tamanho natural.
Na Igreja, há uma imagem de São José vinda da França, doada pelo Comendador José Pinto de Oliveira, em 1884.
Panorama visto do morro do Castelo, Igreja de São José, Largo do Paço e Ilha das Cobras
As fachadas principal e laterais são repartidas regularmente por pilastras e cunhais de cantaria, utilizando o contraste cromático da pedra com o cal branco das paredes”, destaca o Guia das Igrejas Históricas da Cidade do Rio de Janeiro.
Com tantos atrativos históricos, torcemos para que a Igreja de São José seja lembrada sempre por sua beleza e memórias, não por conta de violência ou outras situações negativas.
Felipe Lucena é jornalista, roteirista e escritor. Filho de nordestinos, nasceu e foi criado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Apesar da distância, sempre foi (e pretende continuar sendo) um assíduo frequentador das mais diversas regiões da Cidade Maravilhosa.
História da Igreja de São José - Diário do Rio de Janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.