Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Brasileiro entra no vigésimo dia de greve de fome em presídio na Palestina | Agência Brasil

Islam Hamed, brasileiro-palestino, 30 anos, entrou hoje (1º) no vigésimo dia de greve de fome. Ele está em um presídio na cidade de Nablus, na Palestina, onde cumpre pena. Hamed começou o protesto no dia 11 de abril para exigir que seja libertado e possa vir para o Brasil. O brasileiro-palestino foi preso pela primeira vez quando tinha 17 anos, acusado de atirar pedras em soldados israelenses. Em 13 anos, os intervalos que esteve fora da prisão somam cerca de 18 meses.
Nessa quinta-feira (30), sua mãe, a brasileira Nádia Hamed, foi visitá-lo no presídio. “Ele perdeu 14 quilos e está pálido. Também não aguenta muito tempo de pé, nem sentado”, disse ao falar com a reportagem da EBC. Segundo o Itamaraty, por causa da saúde fragilizada, Hamed tem recebido visitas médicas diárias. Ele voltou a beber água, resultado de uma negociação com a universidade onde estuda religião. A instituição só permitiria que ele fizesse os exames finais do curso se voltasse a ingerir líquidos.
O impasse para a libertação do palestino-brasileiro está em relação às garantias de segurança que ele teria ao deixar a prisão em Nablus. O embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, disse que o governo palestino não pode garantir a integridade física de Hamed e exige que a família assine um termo de responsabilidade. “Estamos na melhor disposição de entregar ele à família, mas no momento que família aceitar o termo de responsabilidade. Ele está livre, mas dependente de Israel se vai deixar sair do país ou se não vai machucá-lo. Ele corre realmente risco de ser detido mais uma vez”, explicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.