Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Atriz Anita Ekberg, de 'La dolce vita', morre aos 83 anos

A atriz Anita Ekberg manda beijos durante a estreia, em Roma, de uma versão remasterizada digitalmente de "A doce vida" no dia 30 de outubro de 2010
A lendária sex symbol sueca dos anos 1960, Anita Ekberg, imortalizada por Federico Fellini no filme "A doce vida", morreu neste domingo em Roma, aos 83 anos, informou a imprensa local.
Segundo site do jornal La Repubblica, Anita Ekberg faleceu em uma clínica em Rocca di Papa, na província de Roma, onde estava hospitalizada.
Apesar de nascer e crescer na Suécia, Ekberg passou a maior parte de sua vida adulta no exterior, primeiro nos Estados Unidos, onde rapidamente virou uma estrela do cinema a partir dos anos 1950, e depois na Itália, onde sua carreira ficou marcada.
Kerstin Anita Marianne Ekberg, filha de um estivador, nasceu em 29 de setembro de 1931 em Malmoe. Foi a sexta de oito filhos.
Tanto sua mãe como seus amigos a incentivaram a participar de concursos de beleza. Em 1950 foi eleita Miss Suécia e depois foi candidata a Miss Universo nos Estados Unidos.
Apesar de não vencer o concurso, rapidamente conseguiu chamar a atenção do diretor de cinema Russ Meyer, do excêntrico milionário e produtor Howard Hughes e do ator John Wayne.
Depois de cinco anos em Hollywood, Ekberg recebeu o Globo de Ouro 1955 de melhor atriz revelação por seu papel em "Rota sangrenta", de William A. Wellman, e em 1956 fez "Guerra e Paz", de King Vidor.
Além de aparecer em revistas como "Confidential" e "Playboy", participou de comédias como "Abbott e Costello no Planeta Marte" (1953), "Artistas e Modelos" (1955), ao lado de Jerry Lewis e Dean Martin, e "Ou vai ou racha" (1956).
Retrato da atriz Anita Ekberg tirado em Roma no dia 24 de dezembro de 1955
La dolce vita

Anita Ekberg era fisicamente tão espetacular que o comediante Bob Hope afirmou, em certa ocasião, que os pais da atriz deveriam receber o Prêmio Nobel de Arquitetura.
Em 1960, Ekberg estourou nas telas com "A doce vida", de Federico Fellini, onde seu banho com um vestido negro e decotado na Fontana de Trevi hipnotizou Marcello Mastroianni e também milhões de espectadores.
O filme de Fellini obteve a Palma de Ouro do Festival de Cannes e a fonte permanecerá como um dos momentos mais memoráveis da história do cinema.
Ekberg também protagonizou vários filmes italianos, entre eles "Boccacio 70" (1962), co-dirigido por Fellini e Vittorio De Sica, e "Entrevista" (1987), também de Fellini com Mastroianni.
Sua última aparição foi em 2002, na série televisiva "Il Bello Delle Donne".
Em 2011, a imprensa revelou que, aos 80 anos, depois de quase 50 filmes, a ex-estrela de cinema teria se visto obrigada a pedir ajuda financeira à Fundação Fellini. Anita Ekberg passou a viver então em uma residência para idosos, perto de Roma, depois de sofrer uma fratura no fêmur.
Ekberg foi casada duas vezes, uma com o ator britânico Anthony Steele (1956-1959) e depois com o ator americano Rick Van Nutter (1963-1975).
Nos últimos anos de sua vida, disse ao jornal Il Corriere della Sera que se sentia "um pouco sozinha", mas que não se arrependia de ter "amado, chorado e enlouquecido de felicidade".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.