Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 2 de setembro de 2014

MÍDIAS COMUNITÁRIAS TERÃO DIREITO A VERBA PUBLICITÁRIA DO ESTADO

MÍDIAS COMUNITÁRIAS TERÃO DIREITO A VERBA PUBLICITÁRIA DO ESTADO
A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta terça-feira (02/09), em segunda discussão, o projeto de lei 1.797/04, do deputado Carlos Minc (PT). A iniciativa dispõe sobre o incentivo à diversidade cultural, por meio de rádios e televisões comunitárias. Pela proposta votada, esses veículos receberiam do Poder Executivo 1% do total das verbas destinadas à publicidade e à execução de campanhas institucionais. Todas seriam acompanhadas por órgão estadual, para auferir a veiculação das campanhas educativas.

A distribuição da verba, ainda de acordo com o texto, será feita de modo proporcional, a ser definida em regulamentações entre todos os veículos comunitários cadastrados junto ao Governo, que também definirá o padrão desse cadastramento. Os veículos deverão contemplar, no mínimo, a veiculação de artistas, diretores, atores e outros envolvidos nos movimentos culturais que possuam produção nacional e independente, na proporção de pelo menos 30% do tempo em que a rádio ou TV estejam em funcionamento.
Segundo o autor, o projeto tem como meta fazer com que rádios e TVs comunitárias tornem-se veículos comprometidos com a diversidade cultural. “A ideia é viabilizar financeiramente essas emissoras e, ao mesmo tempo, exigir delas uma contrapartida cultural, obrigando-as, através de uma espécie de sistema de cotas, a fugir do modelo pasteurizado da grande mídia. Isso abre espaço para artistas, impulsiona a indústria cultural e gera empregos”, avalia. O texto segue para o governador Luiz Fernando Pezão, que terá 15 dias úteis para sancioná-lo ou vetá-lo.
 

Subdiretoria-geral de Comunicação Social
Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro
2588-1404 / 2588-1383 / 2588-1627 / 98890-6652

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.