Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Dia do Barbeiro e do Cabeleireiro

06 de Setembro

Profissão de barbeiro resiste ao tempo

Apesar da tradição, o barbeiro vem perdendo seu espaço para os grandes e modernos salões de beleza.
Atualmente são poucos estabelecimentos que mantém esse serviço. Quem é acostumado a fazer a barba e o cabelo em barbearias pode ter que mudar seus hábitos, pois os barbeiros estão em extinção.
No Centro de São Vicente por exemplo existem apenas duas barbearias que sobrevivem dos clientes fiéis, que não trocam a perfeição do serviço oferecidos.
Carioca como é conhecido, exerce a profissão de barbeiro há 55 anos, e diz que os barbeiros estão com os dias contados. “Essa profissão está em decadência porque antigamente existiam profissionais sérios e que aprendiam com seus pais, hoje em dia poucas pessoas fazem barba no salão”, conta.
Para ele, que aprendeu o ofício com seu pai, está faltando interesse da nova geração. “Hoje em dia com quatro dias de curso já se abre um salão e se torna barbeiro, sem qualificação”, completa Carioca que trabalha no Salão Rio.
Já João Rodrigues Felix, que exerce a profissão há mais de 60 anos no Salão Valete de Paus, não indica a profissão para ninguém. “Hoje em dia a gente sobrevive e só.
A profissão está acabando pois o que surge são cabeleireiros”, comenta. Segundo ele os jovens não se interessam pelo ofício por não trazer lucros futuros. “Já foi a época que valia a pena ser barbeiro, hoje não dá mais. Para começar tem que procurar uma coisa melhor”.
A tecnologia e a modernização dos aparelhos de barbear também contribuíram para o afastamento dos homens. Hoje em dia muitos homens preferem fazer a sua própria barba, em casa. Os novos salões trazem novas técnicas e tendências que atraem mais clientes.
As barbearias se tornaram obsoletas para muitos, mas a perfeição e o capricho dos antigos barbeiros é incomparável. A habilidade com as lâminas e a rapidez fazem do barbeiro uma profissão única.
Dia do Barbeiro e do Cabeleireiro
Início
Mas a profissão de barbeiro é muito antiga. Na Grécia, as imagens utópicas das divindades mitológicas assumiam um ideal de beleza e perfeição corporal. Essa preocupação estética levou à necessidade de um espaço exclusivo e adequado para o tratamento de beleza, incluindo o capilar.
Assim, surgiram os primeiros salões de beleza e a profissão de barbeiro, exclusiva do sexo masculino. Já nessa época, os barbeiros completavam os penteados com falsos cabelos.
Os homens pertencentes à nobreza e os guerreiros, apresentavam cabelos compridos, sustentados por faixas, correntes ou condecorações.
Os adolescentes copiavam os penteados de Apolo e Arquimedes, enquanto os velhos e filósofos usavam cabelos longos e barbas densas, como símbolo de sabedoria. As barbas e bigodes eram cortados com ponta de lança, à imagem de uma sociedade de gladiadores.
Os escravos, que não se distinguiam dos homens livres, apresentavam cabelos curtos e lisos, não se permitindo barbas nem bigodes. Nas antigas culturas, quem pegasse na barba ou cabelo de uma pessoa, era severamente punido, pois significava um atentado à honra e uma intromissão em sua psique.
Assim, a profissão de barbeiro foi associada à manutenção da saúde física do indivíduo.
A sangria era um lucrativo setor desse ofício. Nos séculos XVI e XVII, os barbeiros foram acusados de praticar a sangria despudoradamente.
Só no século XIX, o oficio de médico e de cirurgião dentista foi separado da profissão de barbeiro, porém, alguns continuaram a atuar como dentista até bem pouco tempo.
No século XX, surge a figura feminina nos salões de barbeiros, tanto no exercício da profissão quanto na clientela. Os salões tornaram-se unissex e parece que essa tendência veio para ficar por muito tempo.
Fonte: www.jornalvicentino.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.