Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

ALERJ APROVA A CRIAÇÃO DE 50 NOVOS CARGOS PARA A FIPERJ


A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta quinta-feira (06/02), em discussão única, o projeto de lei 2.708/14, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre o quantitativo do quadro permanente da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio (Fiperj). O projeto inicial, que previa a criação de 50 cargos de nível superior adicionais aos já existentes, voltou à pauta depois de receber seis emendas. Apenas uma foi aprovada: a do deputado Wagner Montes (PSD), que determina que a ocupação dessas novas vagas se dê mediante concurso público.

“A criação de cargos é um esforço institucional do governo que atinge todas as áreas. Foi assim, por exemplo, com a ampliação do número de professores e policiais militares. A Fiperj não tinha sequer escritórios regionais. Isso é uma forma de fomentar o setor”, avaliou o líder do governo, deputado André Correa (PSD), acrescentando ainda que será criada a Cidade da Pesca, em São Gonçalo.

Dos 50 novos cargos criados, 33 são para extensionista, dez para de técnico de recursos pesqueiros e sete para pesquisador. O projeto altera a Lei 4.803/06, que dispõe sobre a reestruturação do quadro da Fiperj, que passa a contar agora com 91 cargos de nível superior. Dentro da categoria, a fundação ainda inclui técnico de comunicação, economista, contador, administrador e psicólogo. Segundo o Governo, a lei acarretará um impacto de cerca de R$ 170 mil/mês a partir do preenchimento dos cargos, totalizando um impacto orçamentário de pouco mais de R$ 2 milhões ao ano.


Fernanda Galvão
Diretoria Geral de Comunicação Social 
da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro
2588-1627 / 9433-3994 / 9726-0409

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.