Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

COMISSÃO DEFENDE FIM DE CHARRETES EM PAQUETÁ

A audiência pública realizada pela Comissão de Representação para Acompanhar as Políticas Públicas de Proteção aos Animais da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) nesta sexta-feira (06/12), para debater o uso de tração animal na Ilha de Paquetá, endossou a opinião do colegiado após visita ao local, em setembro: tanto na ocasião quanto na audiência, concluiu-se pela necessidade de suspensão do serviço de charretes na ilha. Durante a audiência, um dossiê de fotos mostrou as condições precárias em que vivem os animais. Entre os registros, cavalos confinados em pequenas baias com chão cimentado e sem serragem, o que os obriga a viver e dormir sobre as próprias fezes e urina, situação que ainda é agravada pela ausência de veterinário contratado pela Associação dos Carreteiros de Paquetá.
Segundo o presidente da comissão, deputado Thiago Pampolha (PSD), o próximo passo será convocar uma audiência com a presença de representantes da Associação dos Carreteiros de Paquetá e da XXI Região Administrativa do Rio de Janeiro. Se for confirmada a indicação inicial, a comissão entrará em contato com o prefeito Eduardo Paes para sugerir, amparada em relatórios e laudos, a suspensão da atividade e a realocação dos charreteiros para outra modalidade de transporte turístico.
Para o representante da Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais do município (Sepda), Alceu Cardoso, todas as normas de funcionamento estão sendo descumpridas pelos charreteiros do local, mesmo após envio de 16 autos de infração. “Os animais estão sendo submetidos a um regime bárbaro”, informou o médico veterinário Alceu Cardoso. A alternativa para o fim das charretes por tração animal seria o uso de triciclos elétricos, já utilizado no local. “Mesmo que as normas sejam cumpridas, o uso de cavalos em transporte de cargas é cruel, gera sofrimento e não é mais necessário no século XXI”, afirmou a pesquisadora de tração animal e moradora da ilha, Silvia Veg. “Cidades como Recife, Petrópolis e Nova York já estão implantando medidas para erradicação da tração animal como transporte e o Rio não pode continuar no atraso por conta de uma tradição”, completou.
(texto de Eduardo Paulanti)

Pedro Motta Lima
Diretoria de Comunicação Social da Alerj

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.