Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 17 de setembro de 2013

DEPUTADO QUER DESCREDENCIAMENTO DE FORNECEDORA DA FARMÁCIA POPULAR

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputado Márcio Panisset (PDT), anunciou, nesta terça-feira (17/09), que vai encaminhar um ofício à Secretaria de Estado de Saúde pedindo que a empresa Vida Farma seja descredenciada nos editais de licitação do estado, devido ao desabastecimento de estoque de fraldas geriátricas nas Farmácias Populares. Para Panisset, a Vida Farma, fornecedora do material, deve ficar impedida de participar de outros processos licitatórios. “É preciso impedir que empresas que descumprem o contrato possam concorrer no futuro em outras licitações”, afirmou.
A comissão ouviu, durante reunião ordinária, o diretor-presidente do Instituto Vital Brazil (IVB), Antônio Joaquim Werneck. O IVB é o órgão responsável pela compra e distribuição de medicamentos e fraldas nas Farmácias Populares do estado. Werneck explicou que desde agosto o instituto enfrenta dificuldades. “Vendemos cerca de 2 milhões de unidades de fraldas por mês. Em agosto vendemos apenas 800 mil porque o fornecedor Vida Farma não entregou”, justificou. O contrato com a empresa acaba em dezembro. Werneck afirmou que já está organizando a próxima licitação. Segundo ele, a Vida Farma garantiu a entrega de 2,2 milhões de fraldas correspondentes a setembro, e o material deve chegar aos consumidores em quinze dias.
Além da escassez de fraldas, o IVB está há dois meses sem distribuir os 49 medicamentos de uso contínuo que entrega às Farmácias Populares. A falta dos remédios foi explicada por Werneck como um erro estratégico: “Nós queríamos fazer um modelo de licitação diferente que não funcionou, mas não tínhamos um plano B. Nós erramos e estamos admitindo”. No final de agosto foi aprovado, em regime de emergência, um edital normal e, segundo Werneck, a partir do dia 20 deste mês os medicamentos voltarão a preencher as prateleiras das unidades. Também estiveram presentes na reunião os deputados Dr. Gotardo (PSB)Cida Diogo (PT) Enfermeira Rejane (PCdoB).
(texto de Bárbara Souza)



Pedro Motta Lima
Diretoria de Comunicação Social da Alerj
(21) 2588-1627 / 2588-1404

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.