Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

segunda-feira, 18 de março de 2013

Vizinha de casas que desabaram em Petrópolis relata momento de tensão na hora da chuva


Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil

Petrópolis (RJ) – Eram cerca de 22h30 da noite de ontem (17) quando a chuva forte atingia o município de Petrópolis, na região serrana fluminense, provocou um grande deslizamento de terra no bairro da Quitandinha. O deslizamento provocou o desabamento de casas e a morte de moradores.
Vizinha das casas que desabaram, a doméstica Ana Lúcia Bueno conta que viveu momentos de pânico quando o deslizamento de terra começou. Ela diz que saiu de casa, onde vive com o marido e dois filhos, quando ouviu crianças gritando socorro.
“A gente saiu de casa e começou a desabar tudo. Foi um desespero. Eu ainda tentei ir ajudar, mas meu filho me impediu. Se não fosse por isso, eu estaria morta também. Eu conheço todas as crianças. São todos amiguinhos aqui da rua. É muito triste. Eu conhecia todas elas”, disse Ana Lúcia. Neste momento, ainda chove forte na localidade e não há energia elétrica.
Moradora da região da Quitandinha, Maria de Oliveira Lima disse que conhecia uma das vítimas do deslizamento de terra. Para ela, a imagem das casas destruídas lembram uma experiência pessoal semelhante, ocorrida em 2001, quando sua casa desabou durante a chuva forte. “Eu perdi meu marido naquele temporal. É uma dor horrível. É um mal que não desejo para nenhum inimigo. Meus filhos escaparam por um milagre”, disse.
Segundo Maria de Oliveira, durantes as chuvas de ontem, a sirene tocou no local onde ela mora e ela pôde sair de casa., que não sofreu danos.
Edição: Juliana Andrade
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.