Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sábado, 27 de agosto de 2011

Morre diretor de redação do jornal O Globo

Morre o diretor 
de redação de
O GloboO jornalista Rodolfo Fernandes morreu hoje na Clínica São Vicente (zona sul do Rio), aos 49 anos. Ele sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença neurológica fatal que provoca lesões musculares progressivas. Era o diretor de redação e o editor responsável do jornal "O Globo". Apesar da gravidade da doença, que o acometia havia dois anos, a morte de Rodolfo pegou de surpresa os parentes e os colegas do diário carioca. Ele havia trabalhado na redação na quinta-feira passada.
Filho do jornalista Hélio Fernandes, de 90 anos, Rodolfo era casado com Maria Sílvia Bastos Marques, ex-executiva do Banco Icatu, ex-secretária de Fazenda da cidade do Rio e presidente da Empresa Olímpica Municipal, criada pela prefeitura com a função de coordenar os projetos para os Jogos Olímpicos a serem disputados no Rio em 2016. Do primeiro casamento, com Sandra Fernandes, o jornalista deixa dois filhos, Felipe e Letícia. Irmão mais novo de Hélio Fernandes, o jornalista, escritor e dramaturgo Millôr Fernandes era seu tio.
Aos 16 anos, ainda estudante, Rodolfo Fernandes decidiu seguir a carreira do pai e do tio. Ingressou na "Tribuna da Imprensa", o combativo jornal de Hélio Fernandes, como estagiário e repórter. Mais tarde, transferiu-se para Brasília, onde se destacou na cobertura da transição do regime militar para o civil no "Jornal do Brasil', "Jornal de Brasília", "Última Hora" e "Folha de S. Paulo". Foi repórter atuante no acompanhamento do cotidiano da Presidência da República e do Congresso Nacional.
Rodolfo Fernandes trabalhava em "O Globo" havia 22 anos. Inicialmente, na Sucursal de Brasília, onde exerceu as funções de coordenador de política e chefe de redação. De volta ao Rio em 2000, assumiu a editoria de Política. No ano seguinte, tornou-se chefe da redação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.