Vídeos

Notícias - Google Notícias

CINEMA / Filmow - Notícias Populares

ESTE BLOG É INDEPENDENTE - NÃO RECEBE (E NEM QUER) SUBVENÇÃO DE QUALQUER PREFEITURA, GOVERNO DE ESTADO E MUITO MENOS DO GOVERNO FEDERAL - NÃO SOMOS UMA ONG OU FUNDAÇÃO, ASSOCIAÇÃO OU CENTRO CULTURAL E TAMBÉM NÃO SOMOS FINANCIADOS POR NENHUM PARTIDO POLÍTICO OU DENOMINAÇÃO RELIGIOSA - NÃO SOMOS FINANCIADOS PELO TRÁFICO DE DROGAS E/OU MILICIANOS - O OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO É UMA EXTENSÃO DO CAMPINARTE DICAS E FATOS - INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS - GRATO PELA ATENÇÃO / HUAYRÃN RIBEIRO

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

domingo, 28 de agosto de 2011

CHANCHADA / O maior divertimento popular


Rio de Janeiro, capital federal. Carnaval, o maior divertimento popular. Em 14 de setembro de 1941, nasce a Companhia Cinematográfica Atlântida, lançadora de gênero bem nosso: a chanchada, comédia carnavalesca com pitadas de ingênua malícia. Na fórmula, romantismo, música e trapalhadas. Com a entrada do italiano Ricardo Freda na história, surge outro ingrediente e a receita fica completa. Em 1950, estréia Carnaval no fogo, que também tem brigas, socos e correrias burlescas.Chanchada era sinônimo de filme menor. Mas lotava os cinemas. Deixou pérolas, como Nem Sansão, nem Dalila, paródia do hollywoodiano Sansão e Dalila. Na tela, a impagável dupla Oscarito e Grande Otelo. O bandido José Lewgoy em Matar ou correr, outra paródia, que brincava com o faroeste Matar ou morrer; os “mocinhos” Eliana e Anselmo Duarte em Aviso aos navegantes; e mais Cyll Farney, Zezé Macedo, Sônia Mamede, Ilka Soares, Zé Trindade. Em 1961, o Rio não é mais capital federal nem diverte mais o País com as chanchadas: a Atlântida fecha as portas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.